Gestão de TI: passo a passo para otimizá-la com qualidade

Gestão de TI: passo a passo de como otimizá-la com qualidade

Compartilhe

O processo de supervisão de todos os assuntos relacionados com a tecnologia da informação (operações, recursos, pessoas etc.) é conhecido como gestão de TI.

Ter uma boa gestão de TI é garantir que todos os recursos sejam utilizados corretamente e de uma forma que forneça valor para a organização. É alinhar melhor a tecnologia com os processos de negócios e de comunicação ao mesmo tempo em que se aplica as melhores práticas.

A otimização da gestão de TI nunca foi tão discutida e perseguida como nos últimos anos. E isso se deve à importância que a tecnologia ganhou no meio corporativo. A questão é: como conseguir isso? O que é preciso fazer para que a TI seja aperfeiçoada e esteja sempre otimizada?

Continue lendo, pois buscamos respostas para essas perguntas e listamos algumas dicas que podem te ajudar!

Passo 1: Evite separar a gestão de TI da gestão de qualidade

O primeiro passo para a otimização da administração de TI é trabalhar para a excelência da qualidade em todos os processos do departamento.

Uma boa dica para isso é seguir as práticas do COBIT (sigla em inglês para Controle de Objetivos para a Informação e Tecnologia). Com ela, que é na verdade um framework, é possível conseguir melhor domínio de quatro frentes:

  1. Planejamento e organização;
  2. Implementação (execução);
  3. Entrega e suporte;
  4. Monitoramento e avaliação.

Passo 2: Eleve a excelência da infraestrutura e dos serviços

Em seguida, é importante trabalhar para que a infraestrutura de TI (equipamentos, sistemas, redes etc.) e também os serviços sejam otimizados.

Para isso, seguir as boas práticas listadas na Biblioteca de Infraestrutura de Tecnologia de Informação (ITIL), é fundamental. Trata-se de um compilado de métodos conhecidos e respeitados em todo o mundo, que ajudam a otimizar infra e serviços, além de outros pontos.

Seguindo as recomendações do ITIL, é possível otimizar o gerenciamento de níveis de serviço, de capacidade, de finanças, de disponibilidade e continuidade, além do suporte dos serviços.

As boas práticas contemplam, ainda, o gerenciamento de incidentes, de problemas, de configuração, de mudanças e de versões.

Passo 3: Alinhe os objetivos do departamento com a estratégia do negócio

Cada vez mais, é preciso que o departamento de TI esteja em consonância com os objetivos estratégicos do negócio. Isso melhora aspectos como defesas de investimentos e mensuração de desempenho e resultados.

Em outras palavras, uma gestão de TI bem alinhada à estratégia global da empresa faz com que os projetos do departamento tenham finalidades mais claras. Isso possibilita que eles atendam aos diversos públicos internos de forma satisfatória.

Para isso, o gestor deve reivindicar participação nas discussões estratégicas. Ele também precisa melhorar a comunicação da TI com as demais áreas e buscar ter uma atuação mais analítica e menos operacional.

Passo 4: Tenha um bom controle de riscos e mudanças

É importante também ter todos os riscos a que o departamento está exposto sob o radar. Isso equivale tanto à segurança da informação (disponibilidade, confiabilidade e integridade de dados e serviços) quanto ao cumprimento dos contratos firmados com fornecedores de serviços e equipamentos, entre outros fatores.

As mudanças também devem ser gerenciadas de uma forma mais consciente e proativa. O ritmo com que é preciso mudar nos dias atuais pode acabar por atropelar processos. Portanto, é preciso seguir métodos, engajar a equipe, demonstrar à alta hierarquia da empresa quais são as consequências e trabalhar para diminuir os impactos negativos e não perder tempo.

Passo 5: Planeje e execute projetos com o máximo de controle

Por fim, a dinamicidade do dia a dia corporativo requer projetos também dinâmicos e assertivos.

Uma boa dica é trabalhar com metodologias ágeis na gestão e na execução dos projetos. Usando métodos como Scrum e XP no desenvolvimento de soluções, por exemplo, é possível tornar as equipes mais autogerenciáveis. Isso permite entregar pacotes menores de forma contínua e envolver os clientes durante todo o processo.

Assim, é possível elevar a eficácia e a qualidade das entregas ao mesmo tempo em que se consegue satisfazer melhor as expectativas.

Como está a gestão de TI na sua empresa? O que você achou dessas dicas? Deixe seu comentário!

Junte-se a nossa lista

Veja mais