Como a tecnologia amplia o ciclo de vida de uma empresa?

ciclo de vida de uma empresa

Você está iniciando uma companhia ou já tem uma empresa consolidada, mas os desafios não param de surgir? Isso é comum no ambiente de negócios. A única diferença está nos problemas enfrentados, pois eles mudam conforme o ciclo de vida de uma empresa.

Saber contornar as dificuldades e chegar ao próximo estágio de desenvolvimento é importante para você manter a competitividade. Contudo, também é essencial inovar e investir em tecnologia para não deixar o seu negócio morrer. Quer conhecer cada etapa do ciclo de vida de uma empresa e saber como superar os obstáculos? Acompanhe!

Quais são as etapas do ciclo de vida de uma empresa?

Identificar em qual estágio do desenvolvimento o seu negócio se encontra é muito importante para saber como superar as dificuldades em cada etapa do ciclo de vida de uma empresa. Alguns problemas são comuns para uma organização na fase inicial, porém, eles precisam ser contornados para você buscar o crescimento. Veja a seguir!

Namoro

Essa é a primeira etapa do ciclo de vida de uma empresa. É quando a ideia ainda está na cabeça (ou no papel), mas você não encontrou coragem ou recursos para colocá-la em prática.

Buscar o apoio de uma organização como o Sebrae é uma boa maneira de superar o medo e reunir informações para transformar o projeto em um negócio. Caso contrário, você sempre ficará sonhando com uma situação que não se concretiza.

Infância

Esse é o estágio em que o empreendedor começa a “tirar a ideia do papel”. Pesquisas sobre o mercado já foram feitas e aos poucos iniciam os investimentos na empresa.

Como essa é uma etapa inicial, é muito comum o gestor centralizar as informações. Outra característica é a falta de processos definidos, e a equipe profissional ainda não tem muita experiência para lidar com os problemas.

Isso se reflete em decisões tomadas por impulso que acarretam em algumas crises. Outro fator que complica, na maioria das vezes, é a falta de controle financeiro. Caso o negócio consiga superar esses desafios, é possível seguir para o próximo estágio de desenvolvimento. Em outras situações, a empresa encerra as atividades.

Toca-toca

O negócio já está “a pleno vapor”, com vendas aceleradas e uma produção constante (seja ela no setor de serviços ou produtos). O resultado é conquistado por meio da dedicação dos proprietários e uma forte intuição para gerir o negócio. O segredo aqui é enxergar oportunidades em meio aos problemas.

Todavia, é fundamental focar a atenção em um ramo de atendimento para não perder o controle do trabalho. Além disso, o gestor deve voltar a sua atenção para a equipe e compreender que os colaboradores também fazem parte do sucesso do negócio. Se não houver um investimento na empresa e na capacitação dos funcionários, corre-se o risco de estagnar nesse estágio de desenvolvimento.

Adolescência

Nessa etapa o empreendedor já consegue se distanciar um pouco do negócio e delegar algumas atividades para gestores de equipe. Os processos, no entanto, ainda não foram criados e começam a surgir conflitos entre os profissionais da velha e da nova geração sobre a definição de metas para a empresa.

É preciso ter muita paciência e capacidade de adaptação para promover discussões construtivas para o negócio. Ao superar os problemas, você consegue seguir para o próximo passo de crescimento em busca do sucesso.

Plenitude

Encontrar o equilíbrio é uma etapa muito importante para uma organização. Nesse estágio de desenvolvimento você já enfrentou muitas crises e começa a planejar melhor o futuro.

Para isso, é importante criar processos e estruturar melhor o negócio para facilitar a execução e controle das atividades. Incentivar a capacitação profissional e dar mais autonomia para a equipe também é fundamental para fazer a empresa prosperar.

Se você focar a atenção na estruturação do negócio para os próximos anos, será possível prosperar, ampliar o lucro e conquistar a estabilidade. Portanto, o grande segredo é não se acomodar e buscar a inovação constante.

Estabilidade

Qual é o empresário que nunca sonhou em conquistar um bom espaço no mercado, ter um retorno financeiro considerável e poder relaxar um pouco? O estágio de estabilidade pode proporcionar todas essas vantagens ao gestor, pois esse é o ápice do negócio.

Você já superou muitos obstáculos, conquistou clientes e consegue manter uma constância no desenvolvimento de projetos. Com processos padronizados, é possível ter mais segurança e acompanhar os resultados de maneira efetiva.

Tudo parece “um mar de rosas”, pois é justamente aí que mora o problema. Se você permanecer nesse ambiente de segurança, pode perder o interesse de buscar novas oportunidades no mercado. A falta de cuidado nesse aspecto poderá levar a empresa a um declínio. Por isso, é fundamental buscar a inovação e investir na capacitação da equipe para mante a companhia competitiva.

Aristocracia

Nessa etapa a empresa já tem bastante dinheiro em caixa e o gestor começa a adquirir ferramentas de controle para os processos. Ele também aplica recursos na infraestrutura e oferece mais benefícios aos colaboradores.

É nesse estágio que costumam ocorrer as fusões ou compras de outras companhias. O foco do gestor é manter as atividades como estão, sem promover muitas mudanças em processos, produtos ou serviços. Esse é o grande perigo da organização, pois corre-se o risco de criar um perfil conservador e envelhecer em um mercado em constante mudança.

Então, para evitar esse problema, você precisa acompanhar a saúde financeira do negócio e fazer avaliações constantes para verificar se há um crescimento nas vendas ou se o perfil do cliente mudou.

Burocracia incipiente

Se o gestor não renovou os seus projetos e se adaptou às necessidades do mercado, ele entra em um processo de declínio mais intenso. A empresa começa a ter perdas financeiras e os diretores começam a discutir com frequência para tentar encontrar o culpado pela ineficiência.

Isso deixa o ambiente mais pesado e negativo, e muitos profissionais passam a ser demitidos por falta de dinheiro. Se o empresário não assumir o controle da equipe e promover mudanças para acabar com a crise, a companhia fechará as portas em pouco tempo.

Burocracia e morte

Os processos da empresa ficaram muito burocráticos, os gestores não têm mais motivação e não há mais um desenvolvimento constante. O empreendedor já perdeu sua autoridade e não consegue promover mudanças no sistema organizacional.

Os recursos financeiros já não são suficientes para pagar as contas e manter o dinheiro em caixa. A única opção para reverter a situação é motivar a equipe e inovar. A mudança precisa ser feita de maneira ágil, caso contrário, o negócio morrerá.

Como a tecnologia pode ser uma aliada para manter a concorrência?

Se você criou um negócio, provavelmente a intenção é prosperar e manter o sucesso por muitos anos, certo? A única maneira de conseguir isso é buscar a inovação constante para ampliar o ciclo de vida de uma empresa. O mercado está mudando muito rápido, a inteligência artificial começa a dominar o cenário em todo o mundo e você precisa acompanhar tudo isso.

As mudanças vão ocorrer para todos os ambientes de negócio, até para aqueles que você não poderia imaginar. Um exemplo disso é o restaurante robótico que já funciona em Boston, Estados Unidos.

Ele foi criado por um grupo de amigos estudantes que precisavam criar refeições baratas e rápidas de serem preparadas para suprir a fome. A ideia deu tão certo que eles aprimoraram o protótipo e buscaram a ajuda de um chef francês para preparar o cardápio do restaurante. Se essa revolução já pode ser percebida em um ambiente de refeições, imagina em outras áreas empresariais?

Indústria 4.0 e o reflexo no negócio

A indústria 4.0 não vai mudar apenas as grandes fábricas, mas todos os negócios. Na área contábil, por exemplo, os softwares serão cada vez mais inteligentes para dar agilidade aos procedimentos burocráticos. O contador, então, terá que ampliar as suas habilidades para saber negociar melhor com os clientes, oferecer serviços de consultoria e gestão financeira, por exemplo.

Na área jurídica, já existem ferramentas que promovem uma análise de dados e indicam tendências conforme a jurisprudência. Elas também auxiliam no desenvolvimento de peças em poucos minutos. Em médio prazo, por exemplo, o escritório se verá obrigado a investir nesse modelo de tecnologia para conseguir driblar a concorrência.

E as mudanças não param por aí. A cloud computing fará cada vez mais parte dos negócios que buscam reduzir custos e ter segurança nos dados. Ela pode ser incorporada em diferentes cenários. Na área de marketing, por exemplo, ela pode contribuir com as campanhas que exigem uma mudança constante na demanda de acesso ao site, como nas promoções de Black Friday.

Por ser uma solução flexível e escalável, a computação em nuvem permite que a empresa adquira mais ou menos espaço para o armazenamento e gerenciamento de documentos.

Portanto, você pode perceber que a inovação tem um importante papel no ciclo de vida de uma empresa. Se você não utilizar a tecnologia para se manter à frente dos concorrentes, corre o risco de fechar as portas em pouco tempo.

Quer saber mais como os recursos tecnológicos podem ajudar o seu negócio a crescer? Entenda melhor o conceito de internet das coisas (IoT) e suas aplicações na empresa!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Precisa de ajuda? Ligue +55 49 3025.1900 ou

Converse conosco

top